6 dicas para você proteger sua identidade e a marca da sua empresa em tempos de pandemia e sempre

6 dicas para você proteger sua identidade

Imagem: Pixabay

Não é novidade que a pandemia mudou alguns paradigmas em nossa sociedade, inclusive intensificando alguns males já existentes. As tentativas de fraude digital, por exemplo, aumentaram seguindo o movimento de crescimento do comércio eletrônico e da nossa presença nas redes. Da mesma forma que outras pessoas tentam roubar sua identidade para cometer fraudes, outras empresas tentam roubar a marca da sua empresa para capturar seus clientes. Neste contexto, a AdPolice, empresa líder mundial em controle de fraudes de tráfego digital, oferece 6 dicas relevantes para pessoas e empresas protegerem sua identidade/marca no mundo digital.

Pessoa Física

1. Atualize os softwares do seu computador e celular: sempre certifique-se que seus aparelhos estão atualizados. As atualizações de softwares trazem correções importantes para a segurança de seus dados, deixando o seu aparelho menos vulnerável a ataques cibernéticos. Você certamente já ouviu falar de alguém que teve seus dados roubados e usados de forma indevida. Quando softwares estão desatualizados, hackers exploram falhas existentes para infectar seu computador ou celular. Dessa forma, eles roubam seus dados e conseguem o controle do seu aparelho. Da próxima vez que você receber uma mensagem indicando a necessidade de atualizar algum programa, não ignore e faça conforme solicitado, prevenindo assim qualquer brecha ou vulnerabilidade. 

2. Use senhas mais complexas: uma dica que parece simples, mas que é geralmente ignorada, é o devido cuidado que todas as pessoas deveriam ter com suas senhas. Evite usar senhas óbvias e tente criar algo mais complexo para dificultar as possíveis fraudes e sempre que possível, atualize. Alguém usando seu Facebook, Instagram, WhatsApp, ou se passando por você ao espalhar e-mails com o seu endereço? Ou já recebeu um email de você mesmo,  sem nunca ter enviado? Isso pode não ter acontecido com você, mas já deve ter ocorrido com alguém próximo, e a utilização de senhas mais complexas ajuda a evitar esse tipo de problema. Inclusive, usar a mesma senha para diversas contas não é recomendável e não ajuda na proteção de seus dados digitais.    

3. Use autenticação de 2 fatores: melhor que uma, só duas autenticações. Essa etapa extra de segurança ajuda na proteção de sua conta digital (bancária ou de uma rede social), ao enviar um código ao seu telefone ou ao solicitar a resposta de uma pergunta de segurança previamente gravada por você. Vamos supor que alguém adivinhou sua senha do aplicativo do banco e conseguiu acesso ao seu usuário. Ao utilizar a autenticação de 2 fatores, o cibercriminoso não vai conseguir acessar o segundo fator, pois isso exigiria que ele roubasse um telefone celular ou conseguisse acesso a sua conta de email. É uma solução simples, prática e que funciona.   

Empresa:

4. Registre sua marca: marcas que atuam no mundo on-line também precisam ser registradas.  Assim como um indivíduo tem seu RG (Registro Geral), que o diferencia de outras pessoas,  o registro da marca junto ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Intelectual) garante às empresas o direito de usar sua marca em todo o Brasil, restringindo seu uso por estranhos e impedindo que outra marca a utilize sem autorização.  

5. Combata o Brand-Bidding: o Brand-Bidding é quando outras pessoas (competidores, rivais diretos, copiadores e parceiros) usam palavras-chave da sua marca para seus próprios objetivos. Por exemplo, um consumidor digita Mappin em sua pesquisa e em sua tela aparece um anúncio da Mesbla (marcas que não estão mais presentes no mercado). Por meio do interesse inicial na primeira marca, a segunda captura a visita e a possível compra do cliente. Dessa forma, fraudadores conseguem desviar potenciais consumidores para seus próprios sites. Apesar das estratégias existentes para esconder e disfarçar esse tipo de fraude, ferramentas como o “BrandProtect”, da AdPolice conseguem monitorar e identificar quem está praticando o Brand-Bidding, trazendo relatórios e análises sobre todas as tentativas de fraude,  cobrindo os principais mecanismos de busca, 24 horas por dia, 7 dias por semana.  

6. Evite o Ad Hijacking: o Ad Hijacking (sequestro de marca) acontece quando afiliados e parceiros abusam de suas parcerias, ao publicarem uma cópia exata do anúncio de sua marca. Esses fraudadores usam a sua identidade para benefício próprio. Essa prática é difícil de ser detectada, e o resultado é que seu anúncio original deixa de aparecer nos resultados de busca do Google, já que o buscador exibe apenas um anúncio para cada URL de display – nesse caso o de quem sequestrou sua marca-  fazendo com que você perca dinheiro sem nem perceber. A AdPolice tem a expertise e o conhecimento técnico necessário para revelar essas ações fraudulentas inclusive no âmbito legal, com escritórios de advocacia especializados em propriedade intelectual e patentes para ajudar na defesa de sua marca.     

Apesar do contexto pandêmico ajudar na proliferação das fraudes digitais, os cuidados necessários para evitá-la valem para qualquer empresa ou pessoa e devem ser aplicados sempre. As dicas citadas podem ajudar você e sua marca nesse objetivo, tendo em mente que as fraudes estão sempre evoluindo,  seguindo o avanço das novas tecnologias. Por isso, o suporte de um especialista na área, como a  AdPolice, torna-se fundamental.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!