Fazer investimento em startups educacionais é muito importante porque essas empresas são voltadas para o aprimoramento do cenário educacional, usando para isso tecnologias e métodos inovadores.

Eles funcionam como uma resposta para os desafios enfrentados no setor educacional, que costuma se caracterizar por métodos tradicionais e burocráticos.

Por outro lado, as startups trazem soluções, como plataformas de ensino online, aplicativos educativos, ferramentas de gestão escolar e até mesmo recursos para análise de dados.

Seu objetivo é fazer com que a educação se torne mais acessível, personalizada e eficiente para os alunos, além de poder se adaptar às demandas contemporâneas.

Suas iniciativas costumam explorar a gamificação e recursos tecnológicos como inteligência artificial e realidade virtual, que conseguem criar ambientes de aprendizado inovadores.

O surgimento dessas organizações educacionais é uma prova de que existe uma necessidade de adaptar o ensino às mudanças sociais e tecnológicas, por isso, são agentes transformadores geram impactos positivos ao oferecer investimento em startups educacionais.

Para entender melhor como elas podem influenciar o setor de educação, o texto vai explicar qual é o objetivo das startups educacionais e como a educação pode crescer com elas.

Também vai explorar as vantagens de investir nesse segmento e mostrar alguns tipos de startups do setor que estão se destacando.

Objetivo das startups educacionais

O principal objetivo das startups educacionais é aprimorar o setor de educação, por meio de técnicas inovadoras e uso de tecnologias.

Sua intenção é tornar a educação mais acessível, sem barreiras geográficas e econômicas. Isso é feito por meio de plataformas online e aplicativos educativos que democratizam o acesso ao conhecimento.

Até mesmo os colaboradores de um fabricante de saco e commerce personalizado podem aproveitar melhor os programas de treinamento oferecidos pela organização.

Tudo isso é feito por meio de plataformas online e aplicativos educativos que facilitam o acesso ao conhecimento e permitem que estudantes de várias regiões e condições financeiras possam estudar com qualidade.

Elas personalizam o aprendizado com a ajuda de recursos tecnológicos, como inteligência artificial e análise de dados, e com isso desenvolvem abordagens de ensino adaptativas que estão de acordo com o ritmo e o estilo de aprendizagem.

Cada aluno passa a ter uma experiência educacional individualizada, consegue compreender melhor o conteúdo e reter os ensinamentos.

Outro objetivo dessas empresas é melhorar a eficiência do ensino, por meio de soluções que otimizam processos administrativos e promovem uma gestão escolar eficaz.

Elas colaboram com o desenvolvimento de ferramentas de monitoramento de desempenho, fazem avaliações automatizadas e usam sistemas de gestão educacional para aprimorar a qualidade e a eficácia do ensino.

Se uma construtora quiser oferecer um treinamento sobre construção de parede acústica para quarto, ao contar com uma startup, poderá utilizar abordagens inovadoras que tornam o aprendizado estimulante.

Mais do que transmitir conhecimento, o grande propósito é despertar o interesse e a curiosidade dos estudantes pelo ensino, coisas que a educação tradicional já não consegue mais fazer como antes.

O crescimento da educação com startups

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Startups, em parceria com o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB), o segmento da educação é praticamente líder no número de startups no país.

Mas o Brasil ainda tem um posicionamento discreto quando se trata do mercado global de empresas voltadas para a educação. Em um estudo que analisou 20 cidades sobre as empresas tecnológicas educativas, São Paulo está em 18º lugar.

Se o Brasil quiser aproveitar o potencial tecnológico na área de educação, precisa tratar alguns problemas estruturais que envolvem o contexto educacional.

Ainda existem muitos impedimentos para difundir a tecnologia no ensino, como o distanciamento entre a escola e a universidade. Também é muito difícil compatibilizar o tempo da escola com o tempo da universidade.

Além do mais, quando se trata de resultados em educação, o tempo de análise é muito maior, e uma prova disso é a difusão da internet.

Por exemplo, desde 2017, 99,9% das casas dos países pertencentes à União Europeia já possuem internet banda larga e ainda discutem maneiras de harmonizar a chegada do 5G.

No Brasil, embora seja possível fazer até compras pela internet, como contratar os serviços de uma empresa de instalação CFTV, mais de 1/3 dos domicílios não têm acesso à internet, o que engloba 70% das residências de classes D e E.

Isso evidencia a desigualdade e a falta de inclusão digital, e quando se trata de infraestrutura para a internet 5G, as principais operadoras de telefonia atuantes no Brasil adiantam que o país terá o acesso depois do restante do mundo.

Tudo isso mostra que existe uma necessidade considerável de evolução no investimento em startups educacionais para atingir o nível de competitividade tecnológica dos países de primeiro mundo.

Mesmo tendo em vista que vários setores crescem muito no país, como os fabricantes de esquadrias de alumínio, as políticas públicas voltadas para a inovação apresentam quedas consideráveis.

O Brasil precisa investir em infraestrutura, pois sem ela não é possível fazer com que os recursos tecnológicos para as escolas e para a própria população estejam mais disponíveis.

Vantagens de investir em startups educacionais

Os investimentos em startups educacionais trazem muitas vantagens que estão além de retornos financeiros, uma vez que também tratam de contribuições para que o setor educacional avance no país. Entre as principais vantagens estão:

  • Impulsiona a inovação;
  • Escalabilidade;
  • Flexibilidade;
  • Demanda crescente.

Essas empresas são capazes de impulsionar a inovação educacional, o que é feito por meio de tecnologias como inteligência artificial, análise de dados e realidade virtual, que melhoram a qualidade do ensino.

Muitas empresas do tipo oferecem soluções digitais fáceis de escalar e por isso são capazes de alcançar uma grande quantidade de usuários rapidamente.

Da mesma forma como automatizar uma impressora etiquetadora adesiva ajuda a aumentar a produtividade dentro da gráfica, os recursos tecnológicos na educação impulsionam a qualidade do ensino.

Tudo isso cria um potencial considerável para crescimento e impacto em escala, que costuma atrair investidores que procuram oportunidades de obter excelentes retornos.

Pelo fato de se concentrarem em abordagens personalizadas, as startups educacionais também conseguem se ajustar às mudanças dentro do mercado preferências dos estudantes.

Por essa razão, acabam sendo mais resiliência diante de mudanças e evoluções que acontecem no cenário educacional.

Outro fato é a inegável e crescente demanda por soluções inovadoras e acessíveis. Em outras palavras, existe uma busca constante por métodos de ensino eficazes e que consigam atender às necessidades individuais dos alunos.

Qualquer empresa que consiga oferecer essas soluções, estará mais bem posicionada e vai conseguir chamar a atenção do mercado.

Assim como uma clínica home care que traz mais conforto para seus pacientes, o que justifica os investimentos no setor, o investimento em startups educacionais são vantajosos porque contribuem com o desenvolvimento de uma sociedade capacitada.

Elas não procuram apenas retorno financeiro, mas também gerar impactos sociais positivos que vão elevar os padrões de aprendizado.

Tipos de investimento em startups educacionais

 Existem diversas empresas de educação brasileiras que trabalham e investem em tecnologias, e uma das que mais se destacam é a Sponte, que oferece soluções que facilitam a vida do gestor escolar.

O profissional não precisa lidar com burocracias e papeladas, pois suas necessidades e tarefas do dia a dia são centralizadas em um sistema e são fáceis de encontrar.

O recurso facilita trabalhos como gestão financeira, cobranças, notas, gestão pedagógica, entre outras, tudo no mesmo lugar.

Para atrair os alunos, a organização pode investir em totem promocional e divulgar descontos na matrícula. Também pode investir em um recurso conhecido como Festou e que consegue resolver problemas relacionados à gestão de eventos.

Toda escola precisa fazer festas, passeios e eventos em datas comemorativas, mas não é fácil gerenciar todos eles manualmente, visto que envolvem várias tarefas, como convites manuais e listas.

É muito melhor contar com um sistema que resolve tudo online e que ainda aumenta a satisfação dos pais porque eles não perdem o convite, a criança não precisa entregá-lo, a entrada no evento é muito mais rápida, entre outras vantagens.

É possível até mesmo organizar a entrega de brindes para os participantes, como canetas, caneca personalizada, entre outros.

Por fim, a Kanttum é um excelente recurso voltado para a formação continuada da equipe docente. A escola precisa de bons professores, por isso, deve contar com uma plataforma que fornece treinamentos e cursos para que eles acompanhem as tendências.

Considerações finais

O investimento em startups educacionais é algo promissor e que traz excelentes retornos financeiros e educativos.

São organizações com uma grande capacidade de inovação e que oferecem aprendizado personalizado, além de facilitarem a vida dos profissionais da área.

Aproveitar seus recursos é a melhor forma de alcançar um novo patamar educacional e transformar a sociedade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.