Modelo inédito no Brasil, o Centro de Competência Embrapii em Terapias Avançadas vai colocar o país no mapa das tendências em inovação com pesquisa contra doenças degenerativas, câncer, doenças genéticas e outras

O Ministério da Saúde e a Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) anunciam, nesta terça-feira (26), a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein como Centro de Competência Embrapii em Terapias Avançadas. No total, serão investidos R$ 15 milhões, em um período de cinco anos, para o desenvolvimento de tecnologias emergentes. O foco será avançar no estudo de terapias gênicas para o tratamento inovadores contra doenças ainda sem terapias resolutivas.

“O Centro de Competência dará contribuições relevantes para a expansão da capacidade tecnológica de fronteira no campo das terapias avançadas. Voltado à indústria e aos sistemas de prestação de serviços de saúde, o Centro será um dos pontos de referência no país para a busca de novas soluções em diagnóstico e tratamento de enfermidades complexas, trazendo esperança a quem atualmente não têm alternativas terapêuticas”, disse Chico Saboya, presidente da Embrapii.

O modelo é inédito no Brasil e é parte do conjunto de ações junto ao Ministério da Saúde para apoiar a indústria nacional do setor em diversas frentes, desde o fomento à pesquisa básica para as necessidades do agora até as tendências para o porvir – as tecnologias emergentes. O Centro de Competência Embrapii em Terapias Avançadas é uma estratégia para preparar a indústria da saúde para o futuro e alçar o Brasil ao patamar das grandes nações que pesquisam na fronteira tecnológica.

O Einstein foi selecionado para atuar no modelo e desenvolver pesquisa em terapias avançadas, que buscam soluções de fronteira para tratamento a partir da potencialização ou modificação da atuação de células humanas. As terapias celulares, gênicas e os novos tecidos engenheirados em laboratório podem ajudar a reduzir ou eliminar a necessidade de tratamentos contínuos que podem durar a vida toda, além de permitir o desenvolvimento de terapias para doenças que ainda não têm terapias que promovam respostas satisfatórias.

“Temos realizado substanciais investimentos em infraestrutura, na capacitação de nossos profissionais e em pesquisas científicas em busca de novas abordagens de tratamento para condições médicas complexas. Nesse sentido, as terapias avançadas apresentam um potencial revolucionário ao abrir caminho para um cuidado mais personalizado e efetivo”, afirma Dr. Sidney Klajner, presidente do Einstein. “O reconhecimento como centro de excelência pela Embrapii representa a validação da expertise e posição de vanguarda da nossa organização no desenvolvimento dessas terapias inovadoras e na produção de conhecimento capaz de transformar o sistema de saúde”, diz.

Investimento

A Embrapii vai investir R$ 15 milhões no Centro, com recursos provenientes da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Complexo da Saúde do Ministério da Saúde (SCTIE/MS), por intermédio do Programa Nacional de Genômica e Saúde de Precisão – Genomas Brasil (GenBR). Os recursos serão aplicados no plano de PD&I, formação e capacitação de recursos humanos, associação de empresas, atração e criação de startups e ampliação de infraestrutura.

O anúncio da seleção foi realizado por meio de publicação oficial. A Chamada Pública 03/2022 para seleção do Centro de Competência Embrapii em Terapias Avançadas havia sido publicada no último ano com início do processo de seleção em agosto.

Este é o sexto de um total de nove Centros de Competência criados pela Embrapii. Além de Terapias Avançadas, existem cinco outros em temas pesquisados pelo mundo todo: Tecnologias e Infraestruturas de Conectividade 5G e 6G; Tecnologias Imersivas Aplicadas a Mundos Virtuais; Open RAN (Open Radio Access Networks); e Plataformas de Hardware Inteligentes e Conectadas.

Ainda serão anunciados outros dois novos Centros de Competência Embrapii, nas áreas de Segurança Cibernética e Tecnologia Quântica.

Perspectivas

Em 2022, a Embrapii lançou as chamadas públicas para um total de nove Centros de Competência, com um investimento total de R$ 495 milhões. Eles vão atuar em sete áreas diferentes e serão responsáveis por soluções inovadoras com o objetivo de viabilizar grandes tendências da indústria para o futuro. Os Centros de Competência vão construir conhecimento e criar pontos de referência para as pesquisas em áreas de tecnologias de fronteira.

Os Centros de Competência irão atrair empresas e criarão empregos qualificados, além de investimentos, agregando valor à região onde estiverem instalados. Além disso, vão deixar um amplo legado que inclui a formação de recursos humanos de alta qualidade voltados para a academia e para a indústria; cooperações internacionais contemplando, inclusive, o desenvolvimento de pesquisas conjuntas; estímulo ao desenvolvimento de projetos cooperados da indústria, envolvendo startups; criação de infraestrutura para pesquisa e desenvolvimento de soluções, nas áreas temáticas, de destaque mundial.

Sobre a Embrapii

A Embrapii é uma organização social que atua em cooperação com instituições de pesquisa, públicas ou privadas, para atender ao setor empresarial, com o objetivo de fomentar a inovação na indústria. Para isso, conecta pesquisa e empresas, e divide riscos, ao aportar recursos não reembolsáveis em projetos que levem à introdução de novos produtos e processos no mercado. Para ter acesso ao modelo, a empresa deve apresentar seu desafio tecnológico à Unidade com a competência técnica que se enquadra às necessidades de seu projeto. A Embrapii possui contrato de gestão com o Governo Federal, por meio dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Educação, da Saúde e do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Sobre o Einstein

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein foi fundada em 1955. Atua em todas as etapas da assistência à saúde, no âmbito privado e público, em ensino, educação e consultoria, em pesquisa e inovação e em responsabilidade social. Tem sede em São Paulo (SP) e desenvolve atividades na cidade e no interior do estado de São Paulo, nos estados de Goiás, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco.

Em 2022, recebeu aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para dar início à aplicação em seres humanos de células CAR-T produzidas em laboratório próprio para o tratamento de linfoma e leucemia. Essa é a primeira iniciativa do tipo de uma organização acadêmica e hospitalar a ser aprovada pela Anvisa no Brasil.

A organização conduz ainda outros estudos na área de terapias avançadas, como com células Natural Killer (NK) para o tratamento de leucemia mieloide aguda (LMA) e terapia gênica para anemia falciforme. Os três projetos fazem parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), em parceria com o Ministério da Saúde.

Além desses, estuda também células mesenquimais para o tratamento de malformações congênitas, diabetes e lesões articulares e condrócitos para lesões de joelho, em parceria com entidades como o Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) e American Society of Hematology.