Premiação ocorreu durante o evento Materials Today Conference, realizado em Singapura

Foto: Reprodução

O professor Caio Gomide Otoni, do Departamento de Engenharia​ de Materiais (DEMa) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), foi um dos vencedores do prêmio “Materials Today Rising Star Award”​, entregue a seis pesquisadores de três diferentes ​campos de pesquisa​ da área de Ciência e Engenharia de Materiais (“Conversão e armazenamento de energia”, “Ciência de dados e inteligência artificial” e “Biomateriais”). Otoni foi o único vencedor do hemisfério sul, sendo os demais baseados em universidades dos EUA e Alemanha. A premiação ocorreu durante o evento Materials Today Conference, realizado entre os dias 2 e 5 de agosto, em Singapura.

A escolha dos premiados é feita após uma chamada para indicações, com periodicidade anual. O principal requisito é que o pesquisador esteja no início de uma carreira independente na área de Ciência e Engenharia de Materiais. Considera-se início de carreira, para esse prêmio, quando o título de doutor tenha sido obtido há menos de 10 anos; e por carreira independente, entende-se que o pesquisador tenha nucleado um grupo com linhas de pesquisa próprias e com capacidade de captação de fomento. Os critérios avaliados incluem o impacto gerado pelo candidato na comunidade de Materiais e seu potencial em continuar a fazê-lo nos próximos anos, de modo a tornar-se um futuro líder na área. 

O prêmio reconhece as contribuições das pesquisas de Otoni, com destaque notável àquelas na área de “Biomateriais”. “Especificamente nesta área, temos trabalhos recentes envolvendo sistemas de encapsulamento e entrega modulada de moléculas de interesse farmacológico; espumas e outros arcabouços porosos e/ou fibrosos para regeneração tecidual; superfícies biocidas e autolimpantes; plataformas sensoriais para detecção de analitos de relevâncias biomédica ou alimentícia; hidrogéis responsivos a estímulos externos; curativos membranosos não-tecidos; e materiais comestíveis como veículos para probióticos e outros compostos de interesse nutricional”, complementou Otoni.

Sobre o prêmio, o docente afirma que “foi recebido com orgulho por tratar-se de uma distinção feita por uma das revistas científicas de maior impacto na pesquisa em Materiais: a Materials Today. Para mim, o termo ‘star’ é uma forma meramente carinhosa, ou até hollywoodiana, de apelidar a distinção. O que é de fato honroso é o termo ‘rising’. Nós, pesquisadores em início de carreira, enfrentamos uma série de obstáculos burocráticos, administrativos, orçamentários etc. Debutamos sem laboratório nem orientados para conduzir a pesquisa, tampouco orçamento para financiá-la. Assumimos uma carga didática considerável e, junto à ela, uma enorme pressão por números. Via de regra, chegamos com muita energia, mas com pouca força para brigar pelos diferentes recursos que impulsionam uma carreira acadêmica. Neste cenário, quando comparamos nossa produtividade com aquela que tínhamos enquanto pós-docs, a impressão é que estamos em franco declive. Menos de três anos após ser contratado pelo DEMa/UFSCar, ouvir o contrário de 

uma entidade com a envergadura da Materials Today, reconhecendo que, na verdade, a derivada é positiva e você está em aclive, representa uma injeção de ânimo para transpor cada um destes obstáculos. Destaco que, embora concedido de forma individual, esta distinção reflete um esforço coletivo e perene, com contribuições desde os meus mentores e colaboradores até os membros do grupo de pesquisa que lidero: o maTREErials.”

Durante a Materials Today Conference, em Singapura, o pesquisador da UFSCar recebeu uma placa na cerimônia de premiação e também proferiu uma palestra como convidado. “Devo destacar que esta missão teve grande apoio da UFSCar, em especial da reitora Ana Beatriz de Oliveira”, finalizou. Há, além da placa, uma premiação em dinheiro e o convite para a submissão de um artigo científico para a revista flagship Materials Today, uma das de maior impacto na área de Materiais em todo o mundo.