Foto: Reprodução

Jullia Gabriella de Oliveira Saad recebeu o prêmio de segundo melhor artigo do VIII WASHES 2023

O trabalho da egressa Jullia Gabriella de Oliveira Saad, do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), recebeu o prêmio de segundo melhor artigo do VIII Workshop sobre Aspectos Sociais, Humanos e Econômicos de Software (WASHES 2023), que ocorreu durante o XXXXIII Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (CSBC 2023), na cidade de João Pessoa, Paraíba, no dia 6 de agosto.

O trabalho premiado, intitulado “The impact of UX work on communication and collaboration in software startups”, apresentou resultados parciais do projeto de mestrado da egressa, que foi bolsista Capes e teve orientação da professora Luciana Zaina e coorientação do professor Alexandre Alvaro, ambos docentes do Departamento de Computação (DComp), do Campus Sorocaba da UFSCar.

O artigo, que também teve a colaboração da pesquisadora de pós-doutorado, Joelma Choma, apresenta os resultados parciais de um estudo de caso múltiplo que Jullia Saad desenvolveu durante o mestrado em duas startups e com a participação de 16 profissionais de desenvolvimento de software (desenvolvedores, testers, UX designers etc). “Nosso objetivo era compreender quais eram os problemas, desafios e boas práticas que os times das startups adotavam para desenvolver o trabalho de UX”, apontou a orientadora, que explicou também que UX ou User eXperience é a área do conhecimento que estuda a interação humana (usuários) com produtos e serviços. A área de UX fornece um conjunto de técnicas e métodos que permite que profissionais investiguem o comportamento e os sentimentos do usuário antes, durante e depois da interação com um produto ou serviço.

O estudo foi realizado em duas etapas. Primeiro foram conduzidas entrevistas. Os participantes foram selecionados com base no tempo de empresa e no envolvimento com usuários, desenvolvimento de produtos, design e atividades de UX. “Nosso objetivo era entender as questões relacionadas ao trabalho de UX que afetam a comunicação e colaboração da equipe. Com base nos resultados das entrevistas, nós conseguimos compreender quais eram as atividades relacionadas ao design da experiência do usuário que impactavam o trabalho dos times de software das duas startups”, complementou Luciana Zaina.

Depois, foi utilizado um método denominado Evidence-based Timeline Retrospective (EBTR), que se baseia em cerimônias retrospectivas comumente realizadas por times de desenvolvimento de software que adotam abordagens ágeis, como a de construir uma timeline com os principais eventos, pessoas e artefatos envolvidos. “Este conhecimento traz uma contribuição relevante, porque permite que times de startups possam usar os achados para melhorar os aspectos de comunicação e colaboração”, acrescentou Zaina.

Para chegar aos resultados, a pesquisadora disse que foi construída uma timeline para cada startup e depois foi realizado um workshop em cada uma. “Mostrávamos a timeline e pedíamos que eles contassem mais sobre os eventos, pessoas e artefatos. Com isto, coletamos os dados através de gravação de vídeos e fizemos uma análise qualitativa baseada em codificação. Desta forma, chegamos a seis categorias de questões relacionadas à comunicação e colaboração que impactavam no trabalho de UX. No artigo, descrevemos o que são as categorias. Este conhecimento traz uma contribuição relevante, porque permite que times de startups possam usar os achados para melhorar os aspectos de comunicação e colaboração”, explica.

“Foi uma alegria receber a premiação. Primeiro, porque é o reconhecimento de que o nosso trabalho possui qualidade e está trazendo contribuições para a área de pesquisa em aspectos humanos em Engenharia de Software. Depois, porque o trabalho que a Jullia conduziu teve um contato direto com a indústria e nos proporcionou obter uma compreensão das necessidades da prática. Isto é muito relevante do ponto de vista de conduzir estudos científicos que tragam contribuições alinhadas a demanda do mundo real”, finalizou a orientadora.