Quem tem medo da IA? Pesquisa da YouGov mostra profissões que mais temem ser substituídas.

Manufatura, TI e Telecomunicações estão entre os mais receosos, enquanto médicos estão confiantes de que a IA não é uma ameaça.

Quais profissões estão ameaçadas pela Inteligência artificial?

Uma nova pesquisa da YouGov, multinacional especializada em pesquisa de mercado on-line, realizada em 18 mercados internacionais, mostra quais setores da economia temem ser substituídos total ou parcialmente pela Inteligência Artificial. A manufatura é o setor que mais tem este receio, com 19,2% dos funcionários desse setor acreditando que a IA será capaz de realizar a maioria de suas tarefas. Tecnologia da Informação e Telecomunicações ocupam o segundo lugar entre os mais assustados com essa possibilidade, com 16,5%.

No lado oposto, os médicos e os funcionários do setor de transporte e distribuição são os mais confiantes de que a IA não poderá substituí-los em nenhum momento. 27,5% e 24,5% dos funcionários desses setores, respectivamente, afirmam que a IA não será capaz de realizar suas tarefas ou as de seus colegas de forma satisfatória. É preciso destacar que, globalmente e em todas as indústrias, 37,8% das pessoas não sabem qual é o futuro da tecnologia.

“Vale considerar também que nem todo mundo tem medo da IA. Quase três em cada 10 funcionários do setor de mídia e publicidade, bem como um quarto dos trabalhadores do setor jurídico, afirmam que ela poderia realizar algumas tarefas complementares ao seu trabalho, em vez de substituir suas atividades diretas”, acrescenta David Eastman, diretor-geral e comercial da YouGov na América Latina.

Otimismo semelhante existe no setor de serviços financeiros: quase 10% das pessoas dessa área acreditam que tais programas substituirão (parcial ou totalmente) outros funcionários de sua empresa, mas não nenhuma das suas tarefas.

Atraso na adoção

A pesquisa da YouGov também revela que relativamente poucas empresas já estão implementando ou considerando seriamente implementar a IA em seus negócios. Globalmente, 31,5% das pessoas dizem que a IA não está sendo usada, não está sendo planejada e não está sendo discutida para possíveis aplicações. Outros 33,4% dizem que não têm ideia se o tópico está sendo mencionado ou considerado pelos líderes da empresa. Isso significa que, potencialmente, 64,8% das pessoas trabalham em organizações que não têm planos para IA.

Aqueles que estão vendo implementações de IA em seus locais de trabalho, pelo menos com mais frequência do que outros setores, são os trabalhadores do setor de TI e telecomunicações: 22,3% afirmam que eles próprios, seus colegas ou outros colaboradores da organização estão usando esses programas no dia a dia. Mais de 18% dos profissionais dos setores de mídia/publicidade e manufatura também afirmam o mesmo.

Eastman acrescenta que há uma relação clara entre o ceticismo dos funcionários em relação aos usos da IA em seu setor e o fato de haver ou não conversas sobre sua possível implementação. Por exemplo, conforme mencionado acima, os trabalhadores dos setores médico e de transportes são os que mais duvidam que a IA possa substituir suas atividades ou as dos seus colegas. Da mesma forma, apenas 42,2% e 35,9% dos funcionários desses setores, respectivamente, dizem que nenhum programa desse tipo está sendo usado, planejado ou discutido, os percentuais mais altos do estudo (fora do setor imobiliário).

Medo generalizado da IA

Embora alguns consumidores estejam pensando ativamente em como empregar recursos de IA dentro dos seus espaços de trabalho, o consenso global continua sendo de medo e até mesmo de rejeição da tecnologia. Isso é particularmente verdadeiro em atividades, funções e trabalhos que envolvem tarefas repetitivas: mais de um quarto da população, de acordo com uma pesquisa realizada pela Surveys em março passado, acredita que a IA será capaz de fazer um trabalho melhor do que os humanos em suporte técnico, desenvolvimento de software, criação de cópias de sites e contabilidade nos próximos cinco anos.

E, em geral, a possibilidade de que os robôs e os programas de IA possam “roubar os empregos das pessoas” é um temor recorrente. Mais da metade da população está muito ou um tanto preocupada com a possibilidade de a Inteligência Artificial substituir empregos. “Um número semelhante está preocupado com o fato de os robôs roubarem os empregos das pessoas ou com as possibilidades de programas generativos, como o ChatGPT. A única coisa que gera mais medo do que essas possibilidades é a desinformação”, conclui o diretor da YouGov.

Metodologia

YouGov Surveys: Serviced fornece resultados rápidos sobre pesquisas de públicos de nicho ou nacionalmente representativos em vários mercados. Os dados se baseiam em pesquisas com adultos de 18 anos ou mais em mais de 18 mercados com tamanhos de amostra entre 512 e 2007 para cada mercado. Todas as pesquisas foram realizadas on-line em março e abril de 2023. Os dados de cada mercado usam uma amostra nacionalmente representativa, exceto México e Índia, que usam amostras representativas da população urbana, e Indonésia e Hong Kong, que usam amostras representativas da população on-line. Aprenda mais sobre YouGoy Surveys: Serviced.

Sobre a YouGov

A YouGov é uma multinacional de origem britânica, pioneira em pesquisa de mercado on-line e ferramentas que integram o planejamento e o monitoramento de dados, garantindo informações mais precisas e ágeis de serem acionadas por seus clientes. Presente em cerca de 70 países nas Américas, Europa, Oriente Médio, Ásia, Ásia-Pacífico e África, a empresa possui uma das maiores redes de pesquisa do mundo. São mais de 24 milhões de membros registrados em seu painel, 800 mil dos quais estão no Brasil. Com dados acumulados ao longo de 20 anos de operação, a YouGov utiliza os chamados “dados vivos” – informações do consumidor continuamente atualizadas, precisas e acionáveis. A missão da empresa é oferecer uma visão incomparável sobre o que o mundo pensa, com soluções inovadoras que ajudam as marcas, proprietários de mídia e agências mais reconhecidas internacionalmente a planejar, ativar e acompanhar melhor suas atividades de marketing. Os dados da YouGov são regularmente referenciados pela imprensa global, sendo a segunda fonte de pesquisa de mercado mais citada no mundo.